domingo, 3 de outubro de 2010

Um dia normal


Hoje é dia 3 de out de 2010, ontem mesmo eu estava bebendo conversando com meus amigos e fumando, enquanto isso o Brasil estava se preparando para o evento mais sujo que se pode imaginar, o dia D dos capitalistas, a eleição, onde escolhemos pessoas do caráter mais sujo pra governarem nossa terra, e colocarem nosso dinheiro tão “sagrado” onde eles acham que devem por. Vendo assim é uma loucura, mais pode acreditar, é isso que fazemos por aqui.
Estava tudo bem normal, quando falo que esta normal, você pode saber que estava tudo um inferno, é assim que vivemos. Mesmo quando bebemos e estamos nos divertindo com amigos, vemos os problemas e as angustias de quem sofre por isso. Porque será que alguém tem que perder seu tempo de vida me servindo uma cerveja com um avental amarelo ridículo, ganhando menos do que deve, sendo que não esta feliz com sua vida?
 Isso é complicado demais, porque, veja só, a culpa é de quem? Alguém tem mesmo culpa? Se tiver, no meu ponto de vista é meio a meio, metade culpa do sistema que alienou essa pessoa ao ponto dela estar descontente com sua vida e mesmo assim servir contra a vontade, obrigatoriamente por si mesma e sua mente pequena, e a outra metade da culpa é da própria pessoa que não teve CORAGEM pra descobrir um mundo que seja diferente do que o que mandaram ele viver.
A cerveja estava gelada, trincando, um pouco menos fria que o olhar do candidato no cartaz dentro do bar, é claro. O nosso papo de bêbado era bem mais consciente que o discurso tão trabalhado do candidato mais renomado. Então me deu uma vontade de mostrar que eu não estava feliz com isso, que eu não quero mais ser tratado como um otário, e que por meio de união com pessoas que tem uma opinião contraria ao sistema feito eu, posso mudar sim as coisas.
Hoje de ressaca eu acordei, e era o dia tão esperado pelos coitados, eu peguei meu corpo sem alma e fui até o banheiro, lavei meu rosto, andei pela sala até a cozinha, tomei meu café da manha, como já era uma hora da tarde meu café foi lazanha e frango, era um domingo maravilhoso, estava nublado e eu tinha saído com meus amigos desde quarta, só queria ficar tranqüilo, tomei minhas cervejas e queria dormir mais um pouco, afinal eu trabalhei a semana toda e ainda sai, só quero curtir meu domingo tranqüilo.
 Mais não, ai que eu me revoltei. Os jovens lutaram literalmente pra conquistar o direito de votar, mais que direito é obrigatório? Olha só como fica bonito, conquistamos o direito de votar obrigatoriamente, isso é ridículo.
Sai da minha casa pra ir no que eles chamam de escola por aqui, é onde votamos, acho o lugar ideal mesmo, porque é ali que se faz toda a lavagem cerebral do que é ser um “cidadão” pra mim nada mais é que uma cidade grande, um cidadão! Haha, essa piada foi ridícula, mais bem menos que o papel que eu estava fazendo, o ato de votar.
Cheguei, e encontro a confirmação de que eu sou um numero e o sistema é lerdo, uma fila, das grandes, e o pior, era pra votar. Um babaca careca com um adesivo besta no peito gritou pros animais ficarem colados na parede pra não interferir na passagem, eu era um dos animais ali na frente da parede, querendo dar um soco na boca daquele careca, ele era igual o sargento da turma do Didi, serio, era igual. ieh
 Quando eu entrei, sabia que não tinha que levar o  titulo de eleitor, mais eles pediram e fizeram uma cara de nojo quando eu falei que só tinha meu RG. Eu estava com minha camisa do ramones rasgada nas mangas, com minhas tattoos, e meu moicano, e justo eu que era o cara mais olhado como mal, fiz o bem na hora de votar, e anulei meus votos, um a um, colocando o numero nove sempre.
Sai daquela escola, o tempo estava nublado, eu com a sensação de ter feito minha parte não contribuindo com o lixo social em que vivemos, e não vendendo meus sonhos por meras promessas pequenas envolvendo DEUS..
ops, deus não, dinheiro... errei a palavra, na verdade da no mesmo.

4 comentários:

  1. ops, deus não, dinheiro... errei a palavra, na verdade da no mesmo
    /\
    benditos sejam aqueles que irão entender essa frase...
    __________________________________________________
    mais ultajante do que ter q votar obrigatoriamente, numa eleição q apenas a palavra lixo não a define, é ter de trabalhar forçadamente nela...mesmo q vendo senhores, bem velinhos, se sentindo bem ao votar, pois não tinham essa "liberdade" em sua época de jovens, não desce essa po(RR)a de eleição...
    é....se fosse boa, não se chamava DEMOcracia...

    ResponderExcluir
  2. nesse mundo... quem tem dinheiro é deus. infelizmente!

    ResponderExcluir
  3. Pra um país que se diz democrata, o voto ser obrigatório, é ridiculo. ;~
    Eu nem fui votar, vou pagar multa mesmo..

    ResponderExcluir
  4. não preciso falar nada ...zzzzz
    sensacional !!

    ResponderExcluir